Cenografia, Figurinos e Adereços

Curso Técnico e Artístico, de formação teórica e prática, na área plástica das Artes do Espetáculo, com coordenação de Cátia Barros. Forma profissionais com competências para trabalhar num coletivo na concepção e construção da cenografia, figurinos, adereços e caracterização necessários à criação do ambiente visual e linguagem plástica dos diferentes tipos de espetáculo seja o teatro, a dança, o musical, o cinema ou a televisão.

 

Este curso, de forte componente prática, prepara profissionais capazes de conceber e executar cenários, objetos de cena e figurinos para espetáculos de teatro, ópera, cinema, televisão, etc.

Indicado para jovens interessados em desenho, artes plásticas, moda, pintura, teatro, etc.

  • – Promover o pensamento crítico, artístico e coletivo onde as competências individuais são desenvolvidas em parceria com o grupo de trabalho e aplicadas às necessidades de um coletivo.
    – Conhecer as diferentes técnicas e materiais que possibilitem as melhores soluções para cada projeto.
    – Desenvolver o trabalho prático com diferentes materiais (madeira, metal, gesso, barro, tintas, tecidos) e diferentes técnicas (moldes, mecanismos, revestimentos, pinturas, acabamentos).
    – Fomentar o uso da memória, da observação e experimentação, da pesquisa e de todo um conjunto de referências históricas, sociais, políticas e artísticas como elementos fundamentais do processo prático e criativo.
    – Aprender a executar, organizar e controlar todas as fases do processo de trabalho: conceção, construção, montagem e desmontagem, provas de guarda-roupa, ensaios e manutenção de todos os dispositivos e elementos cénicos, de figurino, adereços e caracterização que integram o espetáculo.
    – Compreender as necessidades específicas na abordagem a diversas áreas do espetáculo (teatro, dança, performance, musical, ópera, cinema e televisão).

  • Formamos profissionais capazes de desenhar e executar cenografias, guarda-roupa, caracterização e adereços nas áreas de:
    Teatro| Ópera | Dança | Cinema | Televisão | Performance | Publicidade | Música

  • Descarregue aqui o plano de estudos.
    Plano Curricular

  • Português | Irene Ferreira e Leonardo Afonso
    Inglês | Cristiana Dias
    Área de Integração | Pedro Pereira, Magda Henriques e Pedro Guimarães
    Produção | Glória Cheio
    TIC | João Martins
    Educação Física | Diogo Sant’Ana e Daniel Duarte

    COMPONENTE CIENTÍFICA e ARTÍSTICA
    História das Artes | Magda Henriques
    História do Teatro | Cátia Barros
    Matemática | Pedro Carreira
    Geometria | Quitéria Teixeira
    Desenho/Desenho Técnico | Susete Rebelo e João Martins
    Cenografia | Catarina Barros
    Figurinos/Oficina | Cátia Barros, Manuela Ferreira e Carolina Sousa
    Oficina de Construção Cénica | Cristóvão Neto
    Oficina Têxtil | Carolina Sousa
    Oficina de Maquinaria | António Quaresma
    Tecnologia dos Materiais | Susete Rebelo

    FCT | Susete Rebelo, Catarina Barros, Cristóvão Neto, Carolina Sousa e Cátia Barros

  • A Prova de Aptidão Profissional constitui um elemento nuclear do Projecto Educativo da ACE Escola de Artes configurando-se como um “ritual de passagem” entre o universo escolar e a prática teatral profissional. Após três anos de formação, os alunos finalistas confrontam com o público, com o meio e com um júri alargado constituído por criadores, técnicos directores de teatros, críticos e representantes das associações profissionais, o resultado das suas aprendizagens numa área específica (interpretação, luz, som cenografia, figurinos ou adereços).
    Ao longo dos 20 anos de actividade da ACE, a PAP, cujo modelo estimulava os alunos a constituírem unidades de produção autónomas, esteve diretamente na origem de várias companhias profissionais e da renovação dos quadros técnicos e artísticos das estruturas existentes. Vários Teatros (Carlos Alberto, Rivoli, Campo Alegre, Helena Sá e Costa, Famalicão,…), Auditórios (Gaia, Espinho, Aveiro,… ), Museus ( Soares dos Reis, Guerra Junqueiro, Romântico…), jardins e ruas e, ainda, o Siloauto, o Planetário, a Estação da Trindade, o Castelo de S. João da Foz, a Capela do Palácio de Cristal, a Praia de Leça, as Caves Ramos Pinto, entre outros, converteram-se em cenários de Genet, Pinter, Torga Beckett, Tcheckov, Herberto Hélder, Ionesco ou Copi.
    Desde 1993 que espetáculos de teatro, de teatro de rua, teatro de marionetas, concertos, exposições e recitais das Provas de Aptidão Profissional da ACE, marcam de forma vincada a vida cultural da região.

  • A disciplina de Formação em Contexto de Trabalho está organizada em regime de projeto. Os projetos são momentos de formação em que os alunos interrompem totalmente a atividade curricular regular, num contexto simulado de produção profissional de um espectáculo teatral.
    Podem também desenvolver-se num âmbito mais experimental, em regime de oficina ou seminário.
    Os alunos dos três cursos estão envolvidos nas várias fases da F.C.T. (conceção, apresentação a público, montagem e desmontagem),e é nesse esforço coletivo que o espetáculo é construído, perspectivando-se o desenvolvimento de uma atitude ética, técnica e artística profissional. Neste sentido, os alunos serão responsabilizados pelos materiais, ferramentas e espaços da ACE