FCT

Adisciplina de Formação em Contexto de Trabalho está organizada em regime de projeto. Os projetos são momentos de formação em que os alunos e as alunas interrompem totalmente a atividade curricular regular, num contexto simulado de produção profissional de um espetáculo.
Podem também desenvolver-se num âmbito mais experimental, em regime de oficina ou seminário.
Na ACE Porto, os alunos e as alunas dos três cursos são envolvidos nas várias fases da F.C.T. (criação, ensaios, montagens, apresentação a público e desmontagem), e é nesse esforço coletivo que o espetáculo é construído, perspectivando-se o desenvolvimento de uma atitude ética, técnica e artística profissional. Na ACE Famalicão, os projetos são desenvolvidos com todas as características de um processo profissional e de acordo com as necessidades específicas dos seus cursos: Dança, Interpretação, Interpretação e Animação Circenses.

 

OFICINA ZERO

A Oficina Zero é o primeiro exercício prático que os alunos e as alunas desenvolvem na escola. É a primeira vez que entendem e usam o palco, que compreendem o uso do corpo e da palavra, pensam e fazem o primeiro desenho de luz, operam desde a régie, concebem figurinos, compreendem a importância das várias linguagens e se servem delas para comunicar. A Oficina Zero é o momento de aplicação de vários saberes, mas é, sobretudo, o momento em que os alunos e as alunas dos três cursos se juntam, se reconhecem e colaboram na construção de um objeto comum, apresentando-se à escola e ao público.

 

 

TEATRO PORTUGUÊS

No final do primeiro ano de curso, as três turmas estão aptas a aplicar os conhecimentos adquiridos, explorando as características de um texto dramático. O projeto Teatro Português junta alunos e alunas dos três cursos para a construção de um exercício que tem como ponto de partida a dramaturgia portuguesa compreendida entre o séc. XVI e o séc. XVIII, tendo como referência a obra de Gil Vicente. O estudo da obra, o entendimento das suas características e sua contextualização histórica definem a base para a sua abordagem em cena

 

 

PROJETO COREOGRÁFICO

Tendo como base o trabalho de coreografia, o primeiro projeto do 2º ano pretende aproximar alunos e alunas das linguagens do corpo permitindo-lhes pensar e participar na construção de um espetáculo de dança. Partindo do estudo de obras que podem ser de pintura, fotografia, cinema ou de textos não dramáticos, neste projeto, confrontam-se com a possibilidade de desenvolvimento de um espetáculo cuja dramaturgia vai sendo construída à medida que decorre o processo e para que contribuem, dependendo da sua área, construindo possibilidades de abordagem ao tema e de materialização de ideias.
Na construção deste exercício, tomam consciência das características de um espetáculo de dança ampliando assim a sua experiência e oportunidades no seu futuro profissional.

 

 

TEXTO CLÁSSICO

Depois do trabalho de corpo, a palavra torna-se fulcro do estudo do 2º ano. A premência da abordagem do texto clássico no contexto da aprendizagem da ACE Escola de Artes é óbvia, não só, para compreensão da evolução da dramaturgia ocidental e, de um modo mais lato, da História das mentalidades, mas também, para o estudo da influência que estes textos exercem no teatro contemporâneo. Este projeto procura fazer uma abordagem teórico-prática à dramaturgia clássica, partindo da análise de um texto clássico (antiguidade clássica, medieval, renascença, barroco), inserindo-o na época, quer sob o ponto de vista formal (estilo, temas principais, tipo de narratividade), quer sob o ponto de vista sociopolítico (inserção no tempo, importância histórica da obra, articulação da arte com o poder, transgressão). É também objeto deste projeto introduzir um processo de reflexão sobre o que é um texto clássico e a forma de o olhar a partir do contexto atual, e, ainda, promover a discussão sobre os temas expostos e problematizar a sua montagem cénica.

 

 

OFICINA DE TEATRO MUSICAL

A música sempre acompanhou o teatro e, na Grécia, o acompanhamento musical desenvolveu os primeiros sinais de cromatismo e polifonia na história da música do ocidente (o ditirambo e a sua evolução). A Ópera Clássica constituiu-se como um dos momentos mais altos de toda a produção teatral do Ocidente. Mais contemporaneamente, o Cabaret Francês e Alemão derem um enorme contributo ao teatro, à sua acessibilidade e abertura a um público menos erudito. Com o florescimento dos teatros do West End (Londres) e da Broadway (Nova York) o espetáculo musical é colocado ao mais elevado nível do teatro comercial em todo o mundo ocidental. No início do 3º ano, os alunos e as alunas de Interpretação experimentam este género, aplicando as técnicas desenvolvidas na disciplina de Canto ao longo do curso.

 

TEXTO CONTEMPORÂNEO

Este é o último projeto que as três turmas desenvolvem na ACE Escola de Artes e é, por isso também, o que deve congregar todos os conhecimentos adquiridos ao longo dos cursos, devendo ser impulsionador da autonomia dos alunos e das alunas perante os desafios lançados. O objetivo é conseguir aprofundamento nos temas, apuro das técnicas e compromisso com o trabalho, com determinado grau de exigência. O período contemporâneo a que se refere este projeto é um período alargado compreendido entre o final do séc. XIX e a atualidade, correspondendo ao período em que ocorreram grandes revoluções da forma dramática e em que se viveram profundas transformações na maneira de fazer teatro. A abordagem, neste projeto, constitui-se como pretexto para se traçar um olhar sobre as práticas cénicas contemporâneas, contextualizando o tema e estudando o autor ou autora, no seu enquadramento social, político e artístico, e procurando uma reflexão sobre a atualidade.

 

 

OFICINA CINEMA E TV

Na Oficina de Cinema e TV os alunos e as alunas aprendem as técnicas e características específicas dos meios audiovisuais e procuram aplicar saberes desenvolvidos ao longo dos seus cursos, transferindo-os do palco para o set de rodagem. A importância do argumento, o plano e dinâmica de rodagem, as características e especificidades da interpretação para câmara, o décor e o guarda-roupa, a abordagem à luz, fotografia e captação de som são alguns dos temas abordados nesta oficina. Ao longo de duas semanas, alunos e alunas percorrem as várias fases de um processo de rodagem que resulta num pequeno filme ou em várias curtas-metragens