Ajax

Coprodução ACE TEATRO DO BOLHÃO e AO CABO TEATRO

 

A mais antiga e críptica tragédia de Sófocles narra as ações e o destino de Ajax, grande herói grego companheiro de Aquiles. Após a morte deste, Ajax revolta-se porque as Armas de Aquiles foram concedidas a Ulisses e não a ele. O seu orgulho cega-o, levando-o ao repúdio dos homens e Deuses e criando o espaço para a sua própria tragédia.

No âmbito de uma montagem contemporânea esta peça desenvolve-se acima de tudo nesta temática, a luta titânica que na sociedade dos dias de hoje, não hiper consciente mas hiper-informada, existe para controlar a narrativa dos factos e portanto escrever a realidade. Ajax é a tragédia de alguém que quer ainda controlar o significado da sua própria hubris, neste sentido é uma pós-tragédia para um mundo pós-consciente.

 

Texto SÓFOCLES

Tradução MARIA HELENA ROCHA PEREIRA

Encenação NUNO CARDOSO

Elenco ANTÓNIO JÚLIO, AFONSO SANTOS, LUÍS ARAÚJO, MÁRIO SANTOS, MICAELA CARDOSO, JOÃO CRAVO CARDOSO, JÚLIA VALENTE e RODRIGO SANTOS

Cenografia e adereços CRISTÓVÃO NETO

Figurinos LOLA SOUSA

Desenho de luz PEDRO VIEIRA DE CARVALHO

Desenho de som LUÍS ALY e CARLOS REIS

Divulgação DANIELA FERREIRA e GABRIELA POÇAS

 

Informações

Maiores de 12

Duração aproximada: 80′

 

8 de novembro a 13 de dezembro de 2015, no auditório da ACE

27 de março de 2015, Teatro Municipal de Bragança

Fotografias de Pedro Vieira de Carvalho