VAGA

ABRIL – JULHOdente de leão_preto

A ACE Escola de Artes faz 25 anos.

São mais de mil os profissionais de teatro formados por esta escola ao longo deste tempo. São variadíssimas as áreas em que se especializaram e podemos encontrá-los em todo o país e um pouco por todo o mundo. Atores, encenadores, cenógrafos, desenhadores de luz, figurinistas, sonoplastas, músicos, professores, técnicos, artistas, ativistas, entusiastas, pessoas que se movimentam por todo o lado e que transportam o conhecimento e a ética profissional iniciada na nossa escola. Durante estes anos foram precursores de ideias, foram gerando movimento, montaram estruturas de criação e produção que permitiram que no Porto se sentisse mudança e vitalidade. Muitos partiram e regressaram, muitos foram e continuaram a ir, todos existem e fazem com que a ACE Escola de Artes seja uma referência nacional no ensino de Teatro.

 

O Palácio do Bolhão foi o sonho de uma casa que demorou quinze anos a ser realidade. Abriu as portas ao público no dia 27 de março de 2015. É o lugar da escola e a morada da companhia que nasceu da necessidade de dar continuidade ao trabalho da escola. No Teatro do Bolhão trabalham na sua maioria profissionais formados pela escola e, desde a sua fundação em 2003, a companhia foi crescendo para ser uma estrutura capaz de juntar técnicos e artistas que atuam nas mais diversas áreas. Juntos trabalham os que têm muitos anos de experiência e os que começam agora. Juntos os que ensinaram e ensinam e os que aprenderam com eles. É a partir desta casa que se traça o mapa dos passos trilhados. E para que continuem, para que não haja caminho sem gente. Para que não fique vaga a casa e para que tenha vaga(r) quem nela queira estar.

 

A VAGA traz de volta à escola os antigos alunos: desta vez, como profissionais, que mostram o seu trabalho nas diferentes áreas e o cruzam entre si. Começamos por abrir as portas do Palácio do Bolhão a todos, numa festa que celebra os 25 anos da ACE Escola de Artes no dia 23 de abril. Este abrir de portas abarca também as outras escolas, que aproximamos através da programação OUTRAS VAGAS, que cria espaço para o encontro e o diálogo em dois fins de semana de maio. No início do ano lançámos o desafio aos ex-alunos de criar novos projetos, no âmbito das bolsas de criação VAGALUME, que apresentamos em dois fins de semana de junho. Em julho terminamos a mostra com a NOVA VAGA das provas de aptidão profissional dos atuais alunos da escola, que se dão a ver a todos na última etapa dos seus cursos. Na festa de encerramento serão entregues os Prémios ACE Escola de Artes, atribuídos pelo Montepio Crédito aos melhores alunos de cada ano e ao melhor projeto de PAP.

Celebra-se um fim que é sempre um recomeço.

 

Esta família tem crescido. Tem crescido porque somos cada vez mais e tem crescido porque os garotos que entraram um dia na escola são já homens e mulheres que trabalham e fazem propostas de trabalho, têm ideias e têm vontades e têm capacidade para fazer um mundo novo. É desse novo mundo que queremos falar quando abrimos por dentro a nossa casa. É esse lugar de dentro, que anda lá por fora, que se sente e que transborda e que espera o olhar do público.

 

António Júlio

curso de 2002